quarta-feira, 17 de novembro de 2010

"Deleita-te no Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração."

"Confia no Senhor...". Salmos 37.3.

Há muitos ensinos nas Escrituras, que para nós, na maioria das vezes, não passam de palavras. Conhecemos o texto, sabemos até em que capítulo e versículos estão. Não que não reputamos valores a eles, podemos até discorrer sobre o assunto; mas não conhecemos o que eles significam, não é experiência real para nós. No Salmo 37, há algumas dessas palavras: "Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera nele" Salmos 37.3-7.
Primeiramente veremos a palavra confiar. Estou diante de Deus, e testemunhando que antes de qualquer um que leia este estudo, testifico que esta Palavra é para mim. A espada de dois gumes corta primeiro o que a desembainha.

Tudo o que Deus tem feito é se revelar a nós como o Deus Todo-Poderoso, desde o primeiro dia de nossa vida cristã, para que possamos conhecê-Lo, e então confiar, entregar e descansar debaixo da sua sombra: "Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei" Salmos 91.1-2.
Confiar é fiar-se em Deus, é saber que Ele está tomando algo para si e avalizando. Confiar é deixar nas mãos de alguém que pode e dá garantia de realizar. Confiar é ter o endosso de uma Pessoa que não pode mentir: "Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta; a qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu" Hebreus 6.18-19.

Para que haja confiança, é imprescindível que se conheça a pessoa. Quanto a Deus, ninguém jamais o viu. Como então podemos conhecer a Deus para confiar nEle? O Deus unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer. Jesus é o que nos faz conhecê-Lo, e essa promessa, Ele fez ao Pai: "Pai justo, o mundo não te conheceu; mas eu te conheci, e estes conheceram que tu me enviaste a mim. E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja" João 17.25-26. É na face de Cristo que conhecemos a Glória do Pai: "Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo" II Coríntios 4.6.

Muitas vezes procuramos socorro no mundo e nas pessoas. Por que isto? Não porque não cremos em Deus, mas porque não o conhecemos. Saber e crer que Deus existe, não é vantagem nenhuma, até os demônios crêem e tremem: "Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem" Tiago 2.19.

A fé sem obras é morta. Não adianta dizermos que confiamos em Deus, se nossas atitudes tem sido de incredulidade. Se verdadeiramente cremos nEle, nossas atitudes vão ser de fé; e entre elas, a confiança em Deus. Do contrário, nossa fé não passa de meras palavras, de uma fé morta. A religião é feita de muita teoria, mas a vida cristã de conhecimento e prática: "Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras" Tiago 2.17-18.
Crescer na graça e no conhecimento de Jesus Cristo é nossa necessidade primária para confiarmos em Deus: "Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo" II Pedro 3.18. Precisamos nos voltar para o Senhor. Conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor, e então haverá confiança naturalmente: "Vinde, e tornemos ao Senhor, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele. Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra" Oséias 6.1-3.


"Deleita-te também no Senhor...".
Salmos 37.4.

Vimos acima a palavra confiar, nessa veremos sobre a palavra deleitar.
Deleitar é se deliciar, é agradar-se, é ter prazer em Deus. Mas no sentido espiritual da Palavra, é amamentar-se, é leitar-se de Deus. Tudo que o Salmo 37, dos versos 4 a 7 dizem, tem a ver com toda a nossa vida cristã, desde o princípio. Confiança é conhecimento de Deus. Deleitar-se, é ter prazer em se alimentar de Cristo, do puro leite espiritual: "Desejai como meninos recém-nascidos, o puro leite espiritual, a fim de por ele crescerdes para a salvação; se é que já provastes que o Senhor é bom" I Pedro 2.2-3 (CMTHG).

O Salmo 131 traz com mais clareza o que é deleitar-se, quando diz: "SENHOR, o meu coração não se elevou nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes matérias, nem em coisas muito elevadas para mim. Certamente que me tenho portado e sossegado como uma criança desmamada de sua mãe; a minha alma está como uma criança desmamada. Espere Israel no SENHOR, desde agora e para sempre" Salmos 131. Como podemos ver, neste Salmo também existe a palavra esperar que veremos abaixo.

Deleitar-se é a satisfação que uma criança tem depois de estar desmamada no seio de sua mãe. Ela fica farta, realizada; assim também são aqueles que se deleitam no Senhor: "Digo ao Senhor: Tu és o meu Senhor; além de ti não tenho outro bem. Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente" Salmos 16.2, 9 e 11.
Esse prazer, esse deleite, essa satisfação, essa realização é só para os filhos de Deus, daqueles que são de novo gerados pelo Espírito, para a Sua comunhão íntima: "Porque o perverso é abominável ao SENHOR, mas com os sinceros ele tem intimidade" Provérbios 3.32. "Muitos dizem: Quem nos mostrará o bem? SENHOR, exalta sobre nós a luz do teu rosto. Puseste alegria no meu coração, mais do que no tempo em que se lhes multiplicaram o trigo e o vinho. Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, SENHOR, me fazes habitar em segurança" Salmos 4.6-8..
O texto do Salmos 37, verso 4, ainda continua dizendo: "e ele te concederá o que deseja o seu coração".

Muitos usam esse texto para justificarem o seu egoísmo diante de Deus. Dizem que se você se deleitar no Senhor, Ele concederá tudo o que desejamos receber, como um gênio da lâmpada, sem limite de pedidos. Não é isso que Deus está dizendo em Sua Palavra. Muitos, sem terem prazer nela, tomam a Palavra todos os dias, para buscar uma promessa, como se fosse um horóscopo evangélico. Fazem até umas caixinhas de promessas com textos bíblicos, e sorteiam para ver qual promessa cairá naquele dia.
Em Lamentações, capítulo 5, no verso 21, o profeta diz: "Converte-nos a ti, SENHOR, e seremos convertidos". Precisa haver em nós cristãos, uma verdadeira conversão ao Senhor. Não é Deus viver para nós, e nos satisfazer em tudo, mas nós vivermos para Ele, agradando-lhe em tudo. Para isso precisa haver uma renovação do nosso entendimento, uma inteligência espiritual: "Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual; para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus" Colossenses 1.9.

Todo o texto implica em deleitar-se em Deus, e que o nosso coração deseje as coisas de Deus. O texto não diz que se nós nos deleitarmos no Senhor, Ele concederá tudo o que deseja a nossa alma, mas o que deseja o nosso coração. O desejo do coração é o desejo de Cristo, onde estão as fontes que jorram para a vida eterna: "Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida" Provérbios 4.23. Aqui são os desejos de Cristo, do Espírito e não do nosso egoísmo.

Quando temos prazer em Deus, nos deleitamos nEle, do novo coração irá sair somente a busca daquilo que é do alto e não o que é daqui da terra: "Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra" Colossenses 3.1-2; o que é do nosso espírito novo, e não o que agrada a nossa carne ou alma: "Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele" Romanos 8.5-9.

"Entrega o teu caminho ao Senhor...".
Salmos 37.5.

Acima vimos as palavras: confiar e deleitar, nessa veremos sobre a palavra entregar.

Quanto mais crescemos na graça e no conhecimento de Jesus Cristo, e na face de Cristo conhecemos a Glória do Pai, passamos a confiar e ter prazer em Deus; ter prazer no seu ensino, na sua consolação, e também na sua disciplina: "Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho" Hebreus 12.6.
Aprendemos do Espírito, desde o princípio da nossa caminhada cristã, que nossos caminhos agora pertencem ao Senhor: "Do homem são as preparações do coração, mas do SENHOR a resposta da língua. Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do SENHOR permanecerá" Provérbios 16.1 e 19.21. "Eu sei, ó SENHOR, que não é do homem o seu caminho; nem do homem que caminha o dirigir os seus passos" Jeremias 10.23.

Agora não é mais a nossa vontade que prevalece, mas a vontade de Deus: "Mas, se ele resolveu alguma coisa, quem então o desviará? E o que ele quiser, isso fará. Porque cumprirá o que está ordenado a meu respeito, e muitas coisas como estas ainda tem consigo" Jó 23.13-14. "Lembrai-vos das coisas passadas desde a antiguidade; que eu sou Deus, e não há outro Deus, não há outro semelhante a mim. Que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade" Isaías 46.9-10.

Como é Deus que nos guia pelo seu Espírito, e nos faz conhecer a Sua Vontade Soberana, e como também não sabemos o dia de amanhã, temos que entregar esse caminho a Ele. Como disse o Senhor à nação de Israel, não podemos passar adiante da arca (figura de Cristo), porque esse é um caminho que não conhecemos; é um caminho que nunca passamos: "E ordenaram ao povo, dizendo: Quando virdes a arca da aliança do SENHOR vosso Deus, e que os sacerdotes levitas a levam, partireis vós também do vosso lugar, e seguireis. Haja contudo, entre vós e ela, uma distância de dois mil côvados; e não vos chegueis a ela, para que saibais o caminho pelo qual haveis de ir; porquanto por este caminho nunca passastes antes" Josué 3.3-4.

Uma coisa é o que aprendemos e outra é o que fazemos. Tenho aprendido de Deus nesses dias, que não somos o que pensamos, concordamos ou queremos ser, mas somos aquilo que praticamos. Entregar é deixar nas Suas mãos, é verdadeiramente abandonar o que estamos fazendo para que Deus faça. Entregar no sentido espiritual é ceder para Aquele que pode todas as coisas. É necessário entregarmos o nosso caminho ao Senhor, porque é Ele que tudo fará. Cristo é o caminho, e esse caminho nós não conhecemos, nunca passamos. É Ele quem nos fará conhecer. É Ele quem tudo fará.

Quando é que você cederá a Jesus? Tudo agora, ou somente quando ver que não tem mais saída, quando só sobrou Ele para recorrer e entregar? O texto do Salmo 37, no verso 5, nos ensina para entregarmos o nosso caminho ao Senhor. O nosso caminho é tudo, e não apenas algumas coisas; não é apenas aquilo que achamos que não podemos fazer ou entregar para alguém.

Lutamos muitas vezes com as coisas, sendo que Deus nos colocou no caminho. Ele nos colocou em Cristo, que é a nossa vida: "E ali haverá uma estrada, um caminho, que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para aqueles; os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão" Isaías 35.8.
Entregar é ceder completamente, é render-se inteiramente: "Porque para Deus nada é impossível. Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela" Lucas 1.37-38. Entregar é andar, crer e confessar que: "Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim" Gálatas 2.20. Entregar é levar o morrer de Jesus no nosso corpo, para que a vida de Cristo se manifeste em nossa carne mortal.

"Descansa no Senhor, e espera nele...".
Salmos 37.5.

Acima, vimos as palavras: confiar, deleitar e entregar, nessa veremos sobre as palavras descansar e esperar.

Os três procedimentos de fé que vimos anteriormente, implica que o cristão conheça ao Senhor, que tenha prazer em ter comunhão com o Pai e com Seu Filho Jesus, e que se entregue completamente, que se coloque debaixo da potente mão de Deus. É uma posição de fé de que não vivemos mais, mas Cristo é quem vive em nós; Aquele que opera tudo em nós: "Cristo é tudo em todos" Colossenses 3.11.

Agora descansar e esperar, são conseqüências, são os efeitos naquele que confiou e entregou tudo ao Senhor, e sabe que Ele tudo fará. Descansar e esperar é o resultado de quem confiou, se deleitou e entregou tudo ao Senhor. Não estamos falando aqui de descanso físico, mas do descanso do coração: "E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera" Gênesis 2.2-3. "Respondeu-lhe o Senhor: Eu mesmo irei contigo, e eu te darei descanso" Êxodo 33.14.

Faça uma recordação sobre esperar, em nossa meditação do dia 16 de novembro. Como podemos ver, descansar e esperar é uma atitude de fé, de confiança, de conhecimento, e de prazer nAquele que tudo pode, tudo vê, e tudo sabe: "Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia. E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles! Se as contasse, seriam em maior número do que a areia; quando acordo ainda estou contigo" Salmos 139.16-18.

Achar descanso para a alma é resultado daquele que foi e aprendeu do Senhor Jesus: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" Mateus 11.28-30.
Descansamos e esperamos, porque temos a certeza que Aquele que fez a promessa, há de cumprir: "Porque o SENHOR dos Exércitos o determinou; quem o invalidará? E a sua mão está estendida; quem pois a fará voltar atrás?" Isaías 14.27, porque Ele não é homem para mentir: "Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?" Números 23.19; porque Ele é fiel: "Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo" II Timóteo 2.13.

"Mas a salvação dos justos vem do Senhor...".
Salmos 37.39.


Como vimos anteriormente, descansar e esperar são conseqüências na vida do cristão que confiou, entregou e teve prazer no Senhor, nAquele que tudo pode, e que é benigno para com os seus: "Quão preciosa é, ó Deus, a tua benignidade, pelo que os filhos dos homens se abrigam à sombra das tuas asas" Salmos 36.7. "Louvai ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre" Salmos 118.29.
Mas por que as atitudes, que deveriam ser tão naturais na vida de um cristão, são de maneira contrária? Por que primeiro nos preocupamos, ficamos ansiosos, buscamos socorro em pessoas ou na nossa própria força, ao invés de confiarmos, entregarmos e nos regozijarmos no Senhor? Se temos provado tantas boas dádivas de Deus (Tiago 1.17), por que só recorremos a Ele quando nos sentimos impotentes e incapazes? Graças a Deus por isso. Que isso fique cada vez mais evidente ao nosso entendimento. Que Deus nos faça desesperar de nós mesmos, todas as vezes que procuramos confiar, nos deleitar e entegar nosso caminho ao Senhor.

Em nós, isto é, na nossa carne, não habita bem algum (Romanos 7.18). Precisamos crer de uma vez por todas que a nossa carne é fraca: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca" Mateus 26.41, e que não há nada em nós, que possa agradar a Deus: "Mas o mesmo Jesus não confiava neles, porque a todos conhecia; e não necessitava de que alguém testificasse do homem, porque ele bem sabia o que havia no homem" João 2.24-25.

Mas você poderá dizer: - Irmão! Crer, confiar, entregar, deleitar, descansar e esperar, não devem ser atitudes de um cristão? Não é Deus que diz isto para nós? Sim, é verdade, mas onde, ou em que podemos recorrer? Na nossa carne? Já sabemos que é fraca, e que não pode agradar a Deus. Na nossa alma? Essa nem pensar, é muito instável, é muito sentimental, ainda precisa de santificação pela Palavra: "recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas" Tiago 1.21. Em outra pessoa? Muito menos, seremos malditos: "Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço" Jeremias 17.5

Onde então podemos encontrar essa capacidade? No nosso espírito, em Cristo. Só NEle podemos encontrar suficiência para confiarmos, entregarmos, e nos deleitarmos no Senhor. Como conseqüência, gozarmos do descanso e da esperança nEle: "E é por Cristo que temos tal confiança em Deus; não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus" II Coríntios 3.4-5. "Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" João 15.5.

Por que muitos de nós cristãos, não temos gozado desse descanso? Por que nos frustramos todas as vezes que nos aparece uma necessidade de crermos, confiarmos e entregarmos nosso caminho ao Senhor? Deus nos ensina isto desde o princípio. Ele sempre tem nos dito que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais em Cristo (Efésios 1.3). Que Deus fez de Cristo por nós: sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção (I Coríntios 1.30). Que Ele nos deu da sua plenitude: graça sobre graça (João 1.16). Que Cristo opera em nós tanto o querer, como o efetuar segundo a sua boa vontade (Filipenses 2.13).

O Senhor sempre nos ensinou tudo isso; mas como é difícil para nós. De uma vez por todas precisamos entender que é pela graça que somos salvos, e é pela graça que somos sustentados: "Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo" I Pedro 1.13. "Mas se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça" Romanos 11.6.

Em toda e qualquer circunstância, a nossa salvação vem do Senhor. Deus fez isto para que nenhum mortal se glorie na Sua presença. Se eu ou você fôssemos capazes de crer, termos prazer em Deus, e confiar a Ele todas as coisas, nós não precisaríamos de Cristo. E também, neste caso, os cristãos estariam em disputa, para dizer quem de nós seria o maior. Aí a glória seria do homem e não de Deus: "E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele" I Coríntios 1.28-29.

Pare de querer crer, de querer ser forte, capaz, e confiar. Creia somente nisto: "Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim" Gálatas 2.20. Nessa Pessoa de Cristo é que está toda a nossa força: "Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças. Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade" Colossenses 2.6-9. Amém.

Edward Burke Junior

Nenhum comentário: